Podemos procurar muitas explicações simbólicas, mas a relação entre uns e outros é muito simples. Estas cores tem se convertido como representação do Natal porque são tonalidades dos elementos que predominam à celebração durante estes últimos séculos.

O verde é a cor das árvores de Natal e o vermelho dos frutos associados a elas. Outro símbolo que é universal do Natal é o Papai Noel, que também é vestido de vermelho. O dourado tem um significado mais claro: é uma cor que rapidamente associamos a festividades.

A história das cores de Natal é mais antiga. Tem pessoas que defendem que as cores natalinas nasceram na Idade Media. “Associamos o Natal ao vermelho e verde porque sempre tem sido assim”, explica Spike Bucklow, pesquisador da faculdade de Cambridge.

“Podemos seguir as raízes deste código de cores através dos séculos, num tempo que as cores tinham um significado simbólico, possivelmente com uma forma de confirmar as divisões do significado”, explica. Assim os paneis das igrejas dos séculos XIV ao XVI estavam com uma gama de vermelho e verde, que indicavam a chegada do Natal. O pesquisador comenta inclusive que o verde e vermelho eram utilizados para indicar a mudança do ano.

Com isso, comprova-se que a linguajem das cores já era utilizada para sinalizar este momento do ano. Os romanos celebravam o final de dezembro acendendo velas, trocando presentes e realizando um banquete, e esta festa do cristianismo que se converteu no Natal.

Dessa forma, as marcas não podem simplesmente criar outras cores, e sim, brincar com os elementos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *